Pesquisar este blog

Fala Sério!

Vídeo do Gabriel o Pensador quando caiu na farsa dos grampos telefônicos.

Sofia

A descrição de Sofia começa pela cabeça por ser a sede de todos os seus pensamentos e de onde tudo o que você lerá saiu, seja da mente dela ou da minha mente.
Seus cabelos enrolados e virgens, os quais não foram vítimas de artimanhas cosméticas, ou de violação de sua rica virgindade, na cor, no brilho e no balanço.
Os olhos estridentes, levemente cobertos por óculos que os fazem ainda mais profundos e brilhantes.
Seus lábios sinceros, doces, discretos e incorruptíveis.Com um sorriso pronto em qualquer momento, parecem videntes em descobrir os melhores momentos.Falam em dó e sempre são tardios.
Ouvidos atenciosos, nunca atrasados, sempre prontos a ouvir muito mais do que falar.
Suas mãos, com unhas bem feitas por um esmalte claro e lembranças da primavera. Esses são pequenos detalhes do retrato de seu cuidado consigo mesma.
Seu colo bem vestido por uma blusa quase sem cor e sem qualquer vulgaridade ou escândalo aos olhos mais escrupulosos como os nossos.
A cintura é quem define o meio termo de Sofia, entre as idéias e ações, mapas e caminhos que ela toma a todo o momento.Sempre caminha pelas próprias pernas vestidas por uma simpática calça jeans nem alta nem baixa e seus pés de tênis e meias baixas tem a sabedoria herdada pela sua mente jamais ociosa.
Certa menina, que recebeu justo nome, visto que sua sabedoria encanta até aos mais desinteressados.Suas palavras são favos raros de mel e seu silêncio abundante de olhares brilhantes ensaiados só pra me conquistar.
A mulher que acorda cedo, junto comigo.Almoçamos juntos, admiramos a lua e a poesia de uma só vez – ora só a poesia porta a dentro, ora só a lua mundo a fora – a que demarca a ausência da rotina e a presença de um só dom, o nosso dom de amar um ao outro.
Sofia cozinha, lê, conversa, assiste filmes, discute, discorda, concorda e me acorda pra vida tão bela que temos.
Só você Sofia, merece tão belo nome.

Autor: Ítalo Chesley

Escolas


Nas escolas
Onde a cultura é inútil
Nos ensinam apenas
A sentar e calar a boca
Para sermos massacrados
Pelo discurso reacionário
De professores marionetes
Controlados pelo Estado

Nas escolas
Você aprende
Que seu destino já está traçado
Pois querem os transformar
Em Cordeirinhos domesticados
Prontos pra serem transformados
Em operários escravizados

Querem nos transformar
Em máquinas
Para submetê-los
A cadência do trabalho
E horários embrutecidos
Pelos carrascos ponteiros do relógio

Me mandaram à escola
Para me dominar
Me mandaram à escola
Para me manipular
Me mandaram à escola
Para me escravizar
Me mandaram à escola
Para me domar

Garotos Podres

O homem e a galinha

A interpretação é muito simples!


As galinhas, coitadas.Estavam humildemente a ciscar os milhos que eu as lançava e nem imaginavam seu cruel futuro.Fosse eu um ladrão de galinhas, um banqueiro, presidente, governador, vereador, vendedor, seqüestrador, eu era um homem que lhe daria o triste fim, como se fosse um juiz com esse poder nas mãos.Cumpri meu papel de homem cujo trabalho é matar galinhas, o qual eu fazia corriqueiramente e que também não havia parado pra pensar.Será que aquele galinheiro me tinha feito uma lavagem cerebral? Não sei.
Continuei a garantir meu ganha pão.Peguei uma galinha, cortei-lhe o pescoço com uma faca afiada e coloquei-a para ser depenada na minha moderna máquina novinha que tinha comprado dias próximos dali, e as idéias conscientes que passaram pela minha cabeça naquele momento, apenas passaram correndo e foram embora, e eu também voltei pra casa depois de um dia inteiro de trabalho.Passou outro dia, outro, outro e mais outro e eu continuava fazendo o mesmo ritual de sempre, afinal de contas, precisava sustentar meus filhos e esposa.
Num belo dia, quando abri a porta do meu galinheiro para recomeçar mais uma vez o meu ritual de morte diária, nenhuma das minhas meninas estavam mais ali, e eu só conseguia ver pegadas malvadas espalhadas pelo chão, como se tivessem revirado meu quarto e descoberto todos os meus segredos, saqueado todos os meus documentos e levado todas as minhas lembranças nostálgicas de criança, as quais guardava ali entre os álbuns empoeirados que minha mãe passou pra mim e eu certamente passaria pros meus filhos.
Naquele momento me veio o ímpeto de matar aquele ladrão de galinhas sem vergonha que tinha me roubado toda a minha granja em apenas uma noite, e comecei a perceber que a sagacidade do ladrão não passava de um breve desvio no ciclo de vida das minhas branquinhas, o qual era vicioso e metódico involuntariamente, pois seu fim, esse era o mesmo sempre.Eu as comprava, colocava todas ali, tratava delas com comida e água até que ficassem bem gordas e depois as matava para sustentar outras bocas, além da boca da minha família com o que ganhava pelas vendas, mas e as galinhas, pra quê eram sustentadas? Para morrer
O diagnóstico é claro e breve, e que aqui se mostra mais claro do que breve.As diferenças entre as galinhas e os homens são: Elas não matam umas às outras e sim, os homens as matam; Todas elas protegem seus filhotes, ao contrário de homens que matam os seus por simples pecado inescrupuloso; Elas são compradas, engordadas e matadas pelos homens, no entanto, não fizeram nada de mal pra eles.São roubadas, vendidas e mortas, mas pra elas tanto faz se a morte vem do ladrão ou de quem as comprou moralmente.A galinha é o dinheiro.

Discurso


Queridos e raríssimos leitores do meu blog.Antes de colocar o texto aqui, quero indicar-lhes um cd que baixei recentemente e tem me feito muitíssimo bem!
É um CD e Tributo a Janires.
Clique aqui para fazer o download

Se quiser saber mais sobre o grande poeta da Música Cristã, clique aqui e leia o que um dos seus antigos parceiros tem a dizer sobre ele.O cara é O cara mesmo...não é Exagero meu!

______________________________________________________________
Abaixo você poderá conferir o discurso que será proferido na nossa formatura, o qual eu escrevi e espero não estar estragando a surpresa da formatura que será hoje à noite!

Discurso de formatura do Curso Técnico em Informática

De Ítalo Chesley


Aos prezados familiares, convidados, colegas, professores, à gerente do SENAC, Cíntia, e funcionários. Boa noite.
Hoje é uma noite muito especial, noite esta que marca o fim de uma caminhada de quase dois anos do curso técnico de informática.Quantas noites de namoro, saídas ou mesmo ociosas nós sacrificamos para estar aqui, freqüentando as aulas?Um sonho que começou no dia 12 de março de 2007.Ainda me lembro que estávamos todos deslumbrados, um pouco apavorados com a nova onda de conhecimento que passaríamos a receber.Naquele dia a sala estava cheia de alunos, havia ali por volta de 30 pessoas.Com o tempo, adversidades e controvérsias, parte significante da turma desistiu do curso, o que encaramos com naturalidade porque em quaisquer lugares há perseverantes e desistentes.É a lei da vida na sociedade.
Nesse percurso de pouco menos de dois anos, nós, perseverantes freqüentadores das aulas, enfrentamos dificuldades de todas as espécies e certamente pela cabeça dos colegas já passou a possibilidade de desistir, e em outros talvez até tenha sido um ímpeto que hoje é totalmente extinto nessa solenidade, da qual somos protagonistas e outra vez ecoa pelos nossos ouvidos o que muitos já disseram e nós dizemos hoje: “Tudo valeu a pena”.
Sabemos que o curso técnico é um dos passos que daremos ao longo da nossa vida profissional, mas talvez seja um dos mais importantes que já demos.O pontapé inicial.O objetivo concluído e realizado.
O futuro que nos espera às vezes é obscuro e medonho, mas chegamos até aqui e enfrentaremos com coragem e dedicação o trabalho que daqui a diante nos será proposto, e faremos com ética, visando o bem estar das pessoas e a depuração do mercado capitalista em que vivemos.Esperamos que todas as nossas boas ações profissionais sejam apenas detalhes diante da nossa ascendência aos altos níveis intelectuais e financeiros que podemos alcançar.Como diz um dos nossos professores: “O céu é o limite” e por mais fascinante e abstrata que seja essa frase, ela não deixa de ser a pura verdade.O céu é o limite máximo, os outros são alcançáveis e apesar de às vezes encontrarmos dificuldades não são intransponíveis.
A nossa maior esperança ao deixar essa instituição de ensino, é saber que, todos os deslizes de mediunidade cometidos por nós em momentos quaisquer do curso, tenham sido galgados com sucesso e que as dificuldades encontradas tenham sido apenas obstáculos vencidos por nós.
Sobretudo agradecemos a Deus que nos protegeu e nos trouxe até aqui.A nossos familiares que nos foram fieis em todos os momentos, aos professores que nos concederam o bem mais valioso:o conhecimento, à equipe pedagógica do SENAC que nos auxiliou tão prontamente e à Cíntia, gerente do SENAC, que chegou tão recentemente e mesmo assim foi dedicada à nossa turma.

A todos o nosso muito obrigado e nos encontramos pelas veredas entrelaçadas do mercado de trabalho.

Papai Noel que é esperto



















Papai noel, está aí um cara que eu admiro de verdade por tamanha sagacidade, espertesa e persuasão. A publicidade desse cara é mais forte e convincente que a de Adolf Hitler, ditador do século XX, um ordinário, que mesmo sendo tão ordinário, conseguiu matar muita, mas, muita gente mesmo!
Esse tal de papai noel é fodão (com o perdão da palavra).Ele convence desde os mais pobrinhos até os grandes latifundiários que botam a cara dele na televisão pra ganhar dinheiro.São todos escravos do "bom" velhinhos...perfeito...as aspas couberam muito bem ali, pois, meu professor disse que numa redação, quando se utiliza aspas é pra mostrar que algo é exatamente o contrário.
Por favor, não seja ignorante a ponto de pensar que eu estou falando de um papai noel ou outro. O da globo, record, band ou de qualquer outra emissora de televisão que segue essa visão. Tô falando do papai noel que é o papai noel do capitalismo selvagem que anda vagando pelas ruas e shoppings nestas época. Que crise o que rapá!
Os donos de lojas, canais de televisão, fábricas de tudo enquanté trem, quiçá traficantes de drogas estão querendo é encher seus bolsos de grana e aproveitar esse espírito maravilhoso de natal, antes que dia dois de janeiro recomece a ser derramado sangue de inocentes novamente, porque cá pra nós, foi maravilhoso ver o Bushzinho recebendo aquela sapatada em pleno recesso das guerras.

Papai noel Capetalista...eu não caio no seu papo, apesar de me simpatizar muito com o papai noel lá do shopping e mesmo assim não gastar um tustão furado com ele.

Abraço grande!
Obrigado por ler essa postagem!

Mouse Livre!

Discurso não proferido!

Senhoras e senhores, corpo docente, funcionários, diretores, alunos e convidados, Boa noite.Hoje estamos felizes por alguns motivos que não sabemos quais são na verdade, mas estamos felizes e o que me cabe é conjecturar suas origens, quiçá deixá-las morrer entre as minhas palavras arriscadas e ao mesmo tempo sábias.
Estamos felizes pois estamos conseguindo sair vivos de dentro dessa escola.Passamos mais de dez anos da nossa vida sendo massacrados pelo sistema de educação que rege esse país e eu sinceramente, não consigo me acostumar com essa visão burra que nos esconde do conhecimento e o esconde de nós.Qual é a culpa que nós temos por não ter interesse na matéria, se os nossos professores rejeitam qualquer rasa e escassa possibilidade de crescimento, tanto deles como nosso?
Formaram-nos de forma deficiente em todos esses anos e agora ainda querem que saiamos pronto pra o mercado de trabalho e sejamos profissionais de sucesso só pra expor nossos nomes em suas placas de vitórias parasitárias sobre nós.Fala Sério!
Eu mal conhecia o diretor dessa escola, não pude participar da formatura porque não pude pagar, afinal de contas, estou me formando em outro curso porque esse daqui certamente não me daria futuro, e o ensino médio todo mundo tem, um ponto do qual eu dou razão ao meu professor que afirmou em sala de aula.Talvez ele nos quisesse ignorar, amedrontar, quebrantar, modificar....tic TAC...já sei! Ele quer nos desesperançar pra não ter concorrência lá no mercado de trabalho, porque nós somos capazes e sabendo disso ele nos tenta enterrar o último resquício de luta, o que em mim Graças a Deus não conseguiu fazer.Estou escrevendo esse discurso desbocado que jamais seria lido na formatura mesmo que fosse aprovado em todos os termos gramaticais, de sabedoria e razão humana.
Vamos confessar que tudo o que passamos durante tantos anos, sobretudo durante esse, contribuiu em muito para o nosso emburramento, o que na verdade é um processo nacional e quem sabe podemos até chamar de “Programa de Exclusão Intelectual do Governo”.
Sim, eles certamente escolheriam outros discursos, uns discursos menos reveladores e desabafados do que esse, enfim, quaisquer outros que lhes convenha proferir, exceto esse.Eles escolheriam um que tem mais ou menos uns três parágrafos de demagogia e outras duas linhas de hipocrisia e o resto de falsidade.Fala Sério ao quadrado!
Tínhamos um belo discurso de agradecimento aos professores, citações de poetas patrícios (?), acho que não o escolheram porque além de muito sábio e inteligente, fugia de seu vocabulário limitado a poucas e rasas palavras, não estão dispostos a entender o que dizia naquelas duas páginas praticamente artísticas de um discurso profundo.”Minha sagrada ignorância”, a trindade da sabedoria são essas três palavras que foram inspiradas pela exclusão de seu discurso.Fala Sério ao cubo!
Agora nós concluintes da formação básica do ensino público desse país, procuremos novos horizontes e não nos conformemos com as poucas formações que nos deram no âmbito escolar.Que o nosso papel seja fazer a diferença, e lá fora vestir a nossa própria camisa, ao menos enquanto o uniforme da nossa escola for manchado e rejeitado pela falsidade que existe lá.
Aprendamos a fazer a diferença com a qual não convivemos e nos esforçarmos para escolher nossos próprios caminhos e fugir dessa manipulação escrota!
Valorizemos as raras exceções e as tenhamos como amigas, e às outras...às outras inimigas talvez, mas é melhor que sejam neutras pra nós, pra não cairmos nas mesmas ignorâncias e mesmices de sempre.
Enfim, nobres colegas formandos do ensino médio, sejamos a diferença que queremos ver no mundo!