Pesquisar este blog

Concurso para pastor

Salve, Salve meus caros leitores.

Recebi um e-mail de uma fonte confiável que já me enviou muitos outros e-mails confiáveis e fiquei estarrecido pelo que li.

A Igreja Universal do Reino de Deus agora tá abrindo um concurso para pastor.
Só um trecho do e-mail:

" As vagas serão abertas para candidatos do sexo masculino com curso superior em quaisquer áreas.Candidatos com Bacharelado em Administração Eclesiástica ou Pós-Graduação(mestrado e doutorado) em Administração de Igrejas e disciplinas afins ganham pontos na prova de títulos. O número de vagas não foi divulgado.O salário inicial de investidura é de R$ 8.234,82 mais benefícios"

Ouvi dizer que é verdade, ouvi dizer que é mentira, mas não duvido de nenhum dos dois.
Não vou entrar nos méritos da mídia, porque essa aí não forma a minha opinião e não é parâmetro para meu julgamento, por assim dizer, sobre as pessoas, mas se a igreja universal do reino de deus estava procurando um motivo para ser reprovada sumariamente, agora encontrou.Mas por quê?: Você deve estar se perguntando.
Se a investidura pastoral dependesse meramente de conhecimentos acadêmico, abrir uma portinha e começar a recolher os dízimos seria fácil, mas não. Pastores precisam ter um chamado de Deus, uma vontade muito maior, um desejo não de ganhar um salário de quase 10 mil reais, mas de abrir mão de suas próprias vontades carnais para fazer a obra de Deus e entender de que precisam ser preparados para promover a união e não a facção dentro da Igreja

Não conheço a fundo as outras denominações, mas posso falar da minha: Os jovens que têm chamado para ser pastor, demonstram essa vontade para o conselho da igreja, são examinados e passam a ser aspirantes ao ministério. Depois de um tempo servindo à instituição religiosa e prestando serviços, em sua maioria, voluntários e não remunerados, a igreja começa a ver a possibilidade de enviá-lo a um dos seminários da denominação onde ele passa 4 anos estudando Teologia e adquirindo formação para se tornar um pastor.

Ao fim dos 4 anos, ele volta e fica à disposição do presbitério, que, geralmente, não os empossam no mesmo ano. Eles são tratados como Licenciados, só depois de um tempo exercendo um papel quase idêntico ao do pastor, não fazendo apenas alguns sacramentos, eles são ordenados a pastores e a partir daí começam a ganhar melhor e crescer também financeiramente para prover o que a igreja procura neles.

Toda igreja local da minha denominação, tem autonomia para demitir o pastor que não esteja atendendo às expectativas dela.

Não posso falar a respeito de outras denominações porque não as conheço, mas o processo para formação de um pastor não deve ser muito diferente, os parâmetros devem ser tão rigorosos quanto os da minha e eles devem ser ordenados por mérito.

Mas e um pastor que entra por concurso?
Se já não abriram, será que eles não tem potencial para abrir as portas da Igreja de Deus para a infâmia e injúria da sociedade?

E, porfim, piadinhas a parte: Quantos concurseiros não querem ganhar esse salário?

HAHAHA

Enfim...discordo da idéia e espero esperançosamente que não seja vero.

Não gosto de tocar no assunto religião, mas não poderia deixar de fazê-lo nessa circunstância.
Se alguma das minhas palavras agrediu alguém, desculpe-me aí.

Grande abraço a todos.

Por Ítalo Chesley